Fernanda Aoki Navarro (Brasil)

December 30, 2017

 

 

Fernanda Aoki Navarro é uma compositora paulistana. Tem uma produção diversa que vai desde música escrita para instrumentos tradicionais, música eletroacústica, site- specific à performance. Iniciou na música através do piano, quando aos sete anos de idade entrou no conservatório. Tímida, Fernanda conta que nunca gostou muito do palco e que aos poucos, já na adolescência, foi descobrindo outras possibilidades musicais para além da interpretação pianística. Decidiu estudar composição musical na universidade. Formou-se em composição musical pela USP em 2008 e em 2011 ingressou no curso de mestrado em composição musical da Univeristy of California Santa Cruz. Hoje é doutoranda em composição pela University of California San Diego.

Eu conheci Fernanda quando ainda éramos ambas estudantes de graduação, ela na USP, eu na UNICAMP. Falar sobre Fernanda, para mim, é falar sobre uma mulher forte, uma compositora comprometida em explorar seu universo próprio, suas inquietações e expressá-los em música. Isso não é fácil. No caso da artista isso significa buscar um entendimento profundo da “fisicalidade” dos instrumentos e da “corporalidade” das e dos intérpretes que tocam suas músicas não se contentando com uma suposta “linguagem” musical abstrata consagrada por três séculos de tradição ocidental. Essa exploração da fisicalidade e da corporalidade é bastante presente nas peças para instrumento solo como nos casos das músicas “Through” (2015) para flauta baixo composta para Ine Vanoeveren, “To Big for the Door” (2014) para contrabaixo solo composta para Matt Kline, “Emptying the Body” (2012) para cello amplificado composta para Derek Stein e “Fendas” (2011) para guitarra solo composta para Mário Del Nunzio. Mas também é explorada em músicas para grupos como no caso de “Otherness” (2014) em que o violino, por exemplo, não é tocado com arco e sim com uma palheta de guitarra. Em entrevista para o programa “Supertônica” da rede Cultura com Arrigo Barnabé, Fernanda comenta:

 

“A fisicalidade é muito importante para mim, na minha música (...). O lance da fisicalidade nessa peça (“Otherness”) e em outras também é: qual a relação que o performer – pessoa que tá tocando aquele instrumento – tem com o corpo dele ou dela e como o instrumento responde fisicamente. (...). Então, ao invés de partir de estruturas abstratas, por exemplo uma escala, eu gosto de pensar: o que que dá para fazer com a flauta e quais seriam as maneiras que eu poderia repensar a flauta não só como um produtor de notas, mas como alguma coisa contra a qual você tem que soprar ar dentro. Isso muda totalmente a maneira como você pensa música.” (NAVARRO, 2016/b)1

 

“Explorar seu universo próprio, suas inquietações e expressá-los em música” significa também expor o machismo e a misoginia sistêmicos e dominantes que violentam as mulheres de diversas formas, em diversas culturas e tempos, como é possível verificar na peça “Pink” (2013) “que lida com a ideia da voz feminina reprimida” (NAVARRO, 2016/a)2, nas performances “Ela engoliu um piano de vidro” (2016) e “Me, me, me” (2013) em que a compositora explora textos e imagens abordando diversas violências contra mulheres além de também explorar textos feministas sobre o tema. Ou a peça eletroacústica “Unboxing Helena” (2011) em que a artista utiliza um piano preparado simbolizando uma mulher oprimida:

 

“Aí eu pensei na questão de ter um piano preparado, todo alterado e danificado, como uma mulher... incapaz de se mexer porque ela tá toda preparada. Ali, sem ter, de novo, uma voz natural possível, porque existem os objetos impedindo essa voz de existir e que, gradualmente você vai tirando esses objetos e a voz de um piano mais "normal" começa a aparecer.” (NAVARRO, 2015)3

 

Também significa contestar estereótipos que rotulam e demarcam raça, lugar de origem, pertencimento, gênero, sexo e sexualidade....Ufa! Comprometida com seu universo questionador e inquieto Fernanda explora tudo isso em seu fazer artístico, mas não perde o humor e consegue fazer denúncia e crítica aos modelos dominantes e normatizados com ironia e sarcasmo, como é o caso da peça “Homage to Bruno Mantovani” (2014).

É difícil, em poucas linhas, abordar uma artista como Fernanda Aoki Navarro, que é ampla, intensa e contestadora. Sua resistência às categorizações é evidente: “Eu tenho um medo terrível de ser reduzida e estereotipada e nunca mais conseguir sair debaixo dos rótulos que as pessoas podem me colocar.” (NAVARRO, 2016/a). Mas para mim é quase impossível não qualificá-la como alguém seriamente comprometida com a diversidade seja na relação com os instrumentos e com os corpos das e dos intérpretes, seja no questionamento de normas que oprimem, marginalizam, violentam e excluem.

 

escrito por:

Tânia Mello Neiva


Links para Fernanda Aoki Navarro:

http://www.fernandanavarro.net/

https://soundcloud.com/fernandanavarro

 

Textos:

CAVALCANTI, Amanda. 33. Entrevista com Fernanda Aoki Navarro em blog Filhas do Fogo. Disponível em: http://filhasdofogo.tumblr.com/post/150225459116/fernanda-navarro

NAVARRO, Fernanda Aoki. To big for the door. Em Revista Vórtex (Dossiê Músicas feitas para ressoar em todos os corpos – Org. BONAFÉ, Valéria), Curitiba, v. 3, n 2, 2015, p. 224-240. Disponível em: http://vortex.unespar.edu.br/navarro_v3_n2.pdf

NEIVA, Tânia Mello. “Fazer das pedras que atiram em mim o meu castelo.” Uma atitude musical de Fernanda Aoki Navarro ao machismo dominante. Em Anais do XXVI Congresso da ANPPOM - Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música. Belo Horizonte, 2016. Disponível em:http://www.anppom.com.br/congressos/index.php/26anppom/bh2016/paper/view/4249/1262

 

Entrevista:

“Fernanda Aoki Navarro: da fisicalidade da composição. Processos composicionais da performer radicada nos Estados Unidos. Entrevista com Arrigo Barnabé para o programa Supertônica Rádio Cultura FM. Disponível em: http://culturabrasil.cmais.com.br/programas/supertonica/arquivo/fernanda-aoki-navarro-da-fisicalidade-da-composicao

 

___________________________________________________________________________________

1.Em http://culturabrasil.cmais.com.br/programas/supertonica/arquivo/fernanda-aoki-navarro-da-fisicalidade-da-composicao

 

2.Em entrevista à jornalista Amanda Cavalcanti. Disponível em: http://filhasdofogo.tumblr.com/post/150225459116/fernanda-navarro

 

3. Em entrevista comigo no dia 03/08/2015

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes

August 28, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square